"Ando devagar porque já tive pressa…"

Almir Sater e Renato Teixeira fizeram essa descoberta sensacional. E eu, que vou completar cinquenta e dois anos de vida em dezembro, teoricamente na metade dos meus dias, estou descobrindo e perseguindo o mesmo.

"Já não posso investir tempo naquilo que não tem a ver com minha vocação de vida (seja ela qual for) enquanto meus filhos estão crescendo.

Não quero ser surpreendido com pernas e peitos cabeludos e com a fase da juventude quando se envergonharão dos meus beijos.

Agora mesmo sou interrompido pelo meu filho mais novo – ele quer colocar a roupa do Batman. É melhor eu aproveitar. Logo logo ele vai querer usar aquelas roupas ridículas com a calça caindo e a cueca de fora (ai, ai!)".

"Preciso aproveitar esses anos saudáveis com minha esposa. Podemos e devemos deixar algumas coisas de lado para desfrutarmos da presença um do outro".

"Também devo passar mais tempo com amigos, com os amigos de hoje e amigos de todas as fontes e épocas. Tenho muitos amigos, e quero estar com eles quando o tempo estiver feio e quando o tempo estiver bonito.

Já tive pressa, agora não tenho mais.
Agora o meu carro é uma bicicleta.