No entanto, diz a casa de Israel: O caminho do Senhor não é direito. Não são os meus caminhos direitos, ó casa de Israel? E não são os vossos caminhos tortuosos? (Ezequiel 18:29)

Eis o que tão-somente achei: que Deus fez o homem reto, mas ele se meteu em muitas astúcias (Eclesiastes 7:29)

Um dos ditados populares mais conhecidos dos brasileiros é "Deus escreve certo em linhas tortas". Tudo bem que um ditado popular não tenha a preocupação de expressar profundamente uma verdade com todas as suas implicações, mas Deus nunca escreveu, e jamais escreverá em linhas tortas.

O ditado quer dizer que em muitas situações da vida passamos por várias aflições e diversos momentos difíceis até chegarmos à solução, até alcançarmos êxito. É como o casal que se reencontra depois de vários anos em um país distante, ou como o emprego dos sonhos que surge depois de muito penar em trabalhos mal remunerados.

Em nossa vida também acontecem coisas assim. Somos pegos por situações imprevistas, enfrentamos tribulações indesejadas, muitas vezes somos forçados a adiar sonhos por causa de dificuldades no percurso, e outras vezes somos obrigados a suportar as consequências de erros que nós cometemos.

Existem muitas fontes de problemas e dificuldades na vida das pessoas, mas quero me referir a um aspecto de nossa vida que precisamos observar com muita atenção. Se Deus é perfeito ele não escreve torto. Os caminhos de Deus são sempre direitos (do hebraico "takan": medido, ponderado, equilibrado, ajustado), e Deus fez o homem reto (do hebraico "yashar": reto, plano, certo). Por isso, uma das fontes de nossos problemas tem a ver com o nosso caminho, nossa forma de fazer as coisas, e nossas escolhas.

Apesar da acusação dirigida a Deus pelo povo de Israel (O caminho do Senhor não é direito), ele afirma que os caminhos do povo é que não são direitos. Apesar de ter feito o homem reto, ele, o homem (eu e você, homem e mulher, adultos, jovens, crianças, todos!), se meteu em muitas astúcias. Gosto dessa palavra. Ela significa "engenho, invenção". É, na verdade, uma palavra positiva, mas no texto, considerada negativamente. É como se Deus falasse como nós pais falamos aos nossos filhos quando fazem suas bagunças infantis: "Chega de invencionices!", ou quando a criança é muito criativa, então dizemos: "Ela é muito engenhosa".

Pois bem. Será que estamos enfrentando problemas porque escolhemos caminhos tortuosos? Será que estamos enfrentando dificuldades porque nos metemos em astúcias? Porque inventamos coisas onde não deveríamos? Será?

Será que resolvemos comprar o que não deveríamos?
Será que decidimos namorar quem não deveríamos namorar?
Será que dissemos o que não deveríamos dizer?
Será que agimos como não deveríamos agir?
Será que não tomamos as providências exigidas?
Será que fizemos as escolhas certas?
Será que perguntamos ao Dono do caminho?
Será que entortamos um caminho que era direito?
Será que nos metemos em astúcias e invencionices?

Será?

Ainda há tempo para consertar muitas coisas. Não acredite que o caminho torto é normal, fuja dele e vá para o caminho reto. Ele existe e está disponível.

Conheça o livro Quando a gente muda
Contato e comentários: danielglimajr@gmail.com
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional