Hoje eu vou olhar para o Salmo 23 de forma diferente. Não quero fazer uma exegese técnica do texto, não é a minha intenção. Por outro lado não quero ser um pragmático gelado, tentando usar o salmo como se usa uma ferramenta na oficina. Quero apenas me unir a dezenas de pessoas, admitindo minhas dúvidas e inquietações, e fazer a pergunta que não fazemos em público, mas que intimamente fazemos, seja na palavra ou no comportamento. A pergunta é: O Salmo 23 funciona?

Fique tranqüilo, não perdi a fé, e nem estou duvidando da autoridade das Escrituras Sagradas. Quero apenas pensar, e me alimentar do texto como acho que devo, sem fazer interpretações simplistas, com declarações infantis, e decretações imbecis. A verdade da Palavra (Não sou um teólogo liberal) é verdadeira, e, com certeza, tem uma aplicação e uma explicação. Vou agora humildemente em busca dela.



Para que a mensagem do salmo se torne realidade e eu seja pastoreado por esse pastor que não deixa nada faltar, PRECISO ACREDITAR NELE. Mas, O QUE SIGNIFICA ISSO? Significa que eu devo viver e desfrutar de seu pastoreio. E o que é pastoreio? É apascentar, cuidar, alimentar, levar (o rebanho) ao pasto e vigiá-lo, guiar. Esse é o pastor que não deixa que nada nos falte e aqui está um grande conflito: Como assim, "nada nos falta?"! Um simples olhar para a vida, a nossa ou a de muitas pessoas, nos remete a um estado de aflição por um motivo simples e muito perceptível: A vida de uma grande parcela das pessoas tem mais a ver com "Mad Max" do que com "A Fantástica Fábrica de Chocolates". Então o que está acontecendo? Como observar e crer ao mesmo tempo? Confesso que decifrar essas questões está além da minha capacidade mas quero dizer algumas coisas que considero importantes sobre o assunto.

Primeiro, uma afirmação radical: Aqui está um MUNDO IDEAL que não temos mais! Não temos mais esse mundo onde o pastor nos pastoreia dessa forma. Não sou adepto de grandes radicalismos, não penso em morar em uma comunidade alternativa, e nem virar naturalista, mas SE QUISERMOS EXPERIMENTAR O PASTOREIO DO PASTOR JESUS VAMOS TER QUE MUDAR NOSSA VIDA. MUDAR nossos planos, MUDAR nossa forma de nos alimentarmos, MUDAR nosso trato com o trabalho, MUDAR nosso trato com o dinheiro, MUDAR nossos desejos especialmente com relação aos bens materiais, MUDAR nossa prática de oração, MUDAR nossa prática da leitura e meditação da Bíblia, MUDAR para deixar que Jesus seja o nosso Pastor, de fato. Não é possível ser materialista e ovelha ao mesmo tempo, não é possível ser consumista e ovelha ao mesmo tempo, são coisas autoexcludentes. A ovelha não impõe condições para ir ao pasto e ao riacho e nem considera a possibilidade de um combo com grama, maionese temperada, refrigerante e batata frita para acompanhar.

Segundo: Haverá momentos em que apenas o alimento do Pastor Jesus nos sustentará. São fases da vida em que pouca coisa (ou nada) fará sentido ou nos estimulará, e apenas o "pasto verdejante" será nosso alimento. Sei como é isso. Ir ao pasto sem sentir nada, comer sem saborear, acreditando que, por ser alimento divino, ele vai me sustentar de alguma maneira, mesmo misteriosa.

Terceiro: Se o Pastor não permite que nada nos falte, então consideremos o excesso como um grande presente (além do que precisamos). Preciso acreditar no Pastor Jesus porque ele é o melhor pastor. Simples assim. Jesus é um pastor que está preocupado com o homem todo e que sabe bem o que é viver por aqui. Ele é o único pastor que promete repouso em pastos verdejantes, águas de descanso, refrigério para a alma, e outras coisas importantíssimas e essenciais. Alguém que você conhece tem essas credenciais? Não! Além disso, Jesus foi o único pastor capaz de experimentar a solidão para que eu e você não ficássemos sós. "Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?". Isso aconteceu na cruz, e ele suportou tudo para salvar suas ovelhas: Todos nós.

"Temos um pastor que deseja apascentar e cuidar pessoalmente de suas ovelhas em seus clamores" (Nelson Bomilcar)

O Salmo 23 é verdade, e funciona, mas também é verdade que precisamos voltar à simplicidade e à calma na vida. Tem alguém complicando demais o caminho até o pasto e o riacho (leia-se: mídia, marketing, redes sociais, internet, sistema financeiro e até os profissionais da religião). Vamos direto ao Pastor, direto ao pasto, ao riacho, ao descanso.

Antes que pense, devo dizer que para mim este é um desafio diário, não por causa do consumismo ou outras coisas que citei no texto, mas pela depressão. Nunca me senti tão dependente e tão sustentado pelo Pastor como hoje em dia mas é um desafio enorme me sentir saciado. Se você está lendo este texto junte-se a mim (mesmo de longe) e vamos seguir confiando na suficiência do pasto, no frescor das águas do riacho, e no amor incondicional do Pastor.


Contato: danielglimajr@gmail.com / Conheça o livro "Quando a gente Muda" / Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição - Não Comercial - Compartilha Igual 4.0 Internacional