Estou no trabalho. Saio às 17 horas. Desejei uma atividade assim, com hora para entrar e sair. Chegar em casa com a sensação de que não tenho mais nenhum compromisso é muito bom. Vivi mais de trinta anos sem horário para começar e terminar, debaixo da sensação de estar sempre disponível, manhã, tarde e noite. Não percebi o quanto isso estava me destruindo emocionalmente.


O outro lado da questão é a busca por significado. O que faço hoje é importante e muito útil para mim e para as pessoas, e agora preciso encontrar algo que, somado ao importante, preencha a vida com significados diversos e profundos. Admito pra mim mesmo que estou quase me acostumando com a ideia de que não voltarei mais a fazer algo tão significativo para o mundo e isso está deixando de ser um tabu. Realmente não acho que voltarei a atuar como um líder espiritual (pastor) ou como líder de qualquer coisa. A possibilidade de voltar ao pastorado, seja em qualquer modalidade, é cada vez mais remota e distante.

Até agora eu não me vi nenhuma vez com um desejo honesto e profundo de voltar a ser pastor. Não tenho mais vontade, não desejo me envolver com multidão de pessoas e suas necessidade (ou problemas), não tenho paciência, não tenho uma mensagem, não tenho um conselho. Hoje tenho mais perguntas do que respostas sobre Deus e a Bíblia, e resolvi não quebrar mais a cuca com as grandes (e esquisitas) questões teológicas que a depressão fez brotar na minha cabeça. Tudo para chegar em casa às 17 horas e dizer: Não tenho mais nenhum compromisso hoje.

Há uma grande chance dessa situação não se sustentar por muito tempo e sei que é uma questão sobre a qual vou ter que me debruçar cedo ou tarde. Ou eu encontro algum significado no que estou fazendo ou vou ter que mudar. Quando? Não sei, mas sei que virá. Acho que a única certeza que tenho com relação ao meu futuro é que preciso começar a agir agora, mas o quê? Pra onde? Aí a coisa empaca. Ainda não "me apaixonei" por nada. Nada bate em meu coração.

Ouço muito a palavra "ressignificar" na terapia. Acho que é isso: Tenho que encontrar novos significados. Se eu me apaixonar por alguma coisa será bem mais fácil. Sei que não é impossível mesmo aos cinquenta anos, por isso há uma parte de mim que acredita, apesar dos perigos.

Não posso errar agora.

Conheça o livro Quando a gente muda
Contato e comentários: danielglimajr@gmail.com
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional